Terça-feira, 26 de Junho de 2007

elogio ao amor

Parece-me que ja ninguem se apaixona de verdade. Ja ninguem quer viver um amor impossivel. Ja ninguem aceita amar sem uma razao.
Hoje as pessoas apaixonam-se por uma questao de pratica. Porque da jeito. Porque sao colegas e estao ali mesmo ao lado. Porque se dao bem e nao se chateiam muito. Porque faz sentido. Porque e mais barato, por causa da casa. Por causa da cama. Por causa das cuecas e das calcas e das contas da lavandaria. Hoje em dia as pessoas fazem contratos pre-nupciais, discutem tudo de antemao, fazem planos e a minima entram logo em "dialogo". O amor passou a ser passivel de ser combinado. Os amantes tornaram-se socios.
Reunem-se, discutem problemas, tomam decisoes. O amor transformou-se numa variante psico-socio-bio-ecologica de camaradagem. A paixao, que devia ser desmedida, e na medida do possivel. O amor tornou-se uma questao pratica.
O resultado e que as pessoas, em vez de se apaixonarem de verdade, ficam "praticamente" apaixonadas.
Eu quero fazer o elogio do amor puro, do amor cego, do amor estupido, do amor doente, do unico amor verdadeiro que ha, estou farto de conversas, farto de compreensoes, farto de conveniencias de servico. Nunca vi namorados tao embrutecidos, tao cobardes e tao comodistas como os de hoje. Incapazes de um gesto largo, de correr um risco, de um rasgo de ousadia, sao uma raca de telefoneiros e capangas de cantina, malta do "ta bem, tudo bem", tomadores de bicas, alcancadores de compromissos, bananoides, borra-botas, matadores do romance, romanticidas.
Ja ninguem se apaixona? Ja ninguem aceita a paixao pura, a saudade sem fim, a tristeza, o desequilibrio, o medo, o custo, o amor, a doenca que e como um cancro a comer-nos o coracao e que nos canta no peito ao mesmo tempo? O amor e
uma coisa, a vida e outra. O amor nao e para ser uma ajudinha. Nao e para ser o alivio, o repouso, o intervalo, a pancadinha nas costas, a pausa que refresca, o pronto-socorro da tortuosa estrada da vida, o nosso "da la um jeitinho sentimental".
Odeio esta mania contemporanea por sopas e descanso. Odeio os novos casalinhos.
Para onde quer que se olhe, ja nao se ve romance, gritaria, maluquice, facada, abracos, flores. O amor fechou a loja.
O amor e quando se quer estar com a outra pessoa, mesmo que seja diferente de nos, pensar nela, comecar a sorrir quando nos lembramos de uma situacao ou uma
palavra que tenha dito.
Num momento, num olhar, o coracao apanha-se para sempre. Ama-se alguem. Por muito longe, por muito dificil, por muito desesperadamente. O coracao guarda o que se nos escapa das maos. E durante o dia e durante a vida, quando nao esta la quem se ama, nao e ela que nos acompanha - e o nosso amor, o amor que se lhe tem. A vida e uma coisa, o amor e outra. A vida dura a Vida inteira, o amor
nao. So um mundo de amor pode durar a vida inteira. E vale-la tambem."

Miguel Esteves Cardoso"

tags:
publicado por dreia92 às 16:43
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 16 de Junho de 2007

Ciúmes? Não, eu não sou ciumento(a)!

 

Quantas pessoas que vão começar a ler este isto não terão já protagonizado um diálogo do género do que a seguir reproduzo?

"- Quem é aquela que está ali a conversar com o Jorge?
- Sei lá! Nunca a vi mais gorda!
- Olha! Olha!!! Agora está a abraçá-lo... Será que ela não tem um "desconfiómetro"? Fogo... Tem idade para ser mãe dele!
- Ó Vanessa, deixa lá o rapaz!!! Achas que se ele te quisesse enganar, ia fazê-lo mesmo aqui, no meio do bairro? Acalma-te...
- Acalmo-me? Tu já viste? Está ali a derreter-se todo... É só sorrisos. Comigo ele não é assim! Eu vou lá!!!
- Não vais, não. Já viste a figura triste que vais fazer?
- Não interessa! Eu vou lá marcar território!!!
(Chega lá, beija o namorado e, com o ar mais desprezível que consegue colocar, pergunta)
- Então Jorge? Não me vais apresentar a tua... "amiga"?
- S-sim... Vanessa, esta é a minha tia Lurdes, irmã da minha mãe. Chegou hoje do Porto..."

Grande manca!!! Mas afinal, quem é que nunca sentiu ciúmes pelo menos uma vez na vida? Toda a gente sabe que o ciúme é o tempero do amor, não é? Bem, talvez se for "utilizado" com conta, peso e medida o tempero possa resultar... eventualmente. Mas quando se começa a desconfiar de tudo o que o(a) namorado(a) diz e faz... Aí a coisa já muda de figura!

Numa situação ideal, as coisas seriam completamente diferentes... Quando se gosta de alguém, deseja-se que o parceiro , ou seja, o bem do outro, pelo outro e para o outro. Por isso, não deixa de ser curioso que esse sentimento tão egocêntrico que é o ciúme encontre as suas origens exactamente na palavra "zelo", algo que, em princípio, se basearia no altruísmo...
O que é que uma coisa tem a ver com a outra? É que em latim, zelo escreve-se "zelumen". Parecido, não é?

Talvez seja por causa da má interpretação que possivelmente se faz da ligação destas duas palavras (zelo e ciúme), que a maioria das pessoas acredita que o ciúme é uma espécie de prova de amor. Será? Não... É um sentimento tão egoísta que não merece ser confundido com provas de amor.

Nota bem que o ciúme não é mais do que o medo de alguém de perder o(a) outro(a) ou a exclusividade sobre ele(a). Não passa de um pavor terrível de se ser excluído de uma relação, por isso...

Afinal, o ciúme funciona como um aviso, um alerta que indica que alguma coisa está a falhar. Se tudo estivesse bem, não haveria lugar para problemas deste tipo, não é?
É por isso mesmo que o ciúme é, sem sombra de dúvida, um dos sentimentos que mais atrapalham uma relação. Imagina um casal em que ele não pode olhar para rapariga nenhuma, pois ela (a namorada) fica logo amuada a pensar que ele a quer trair. Ou então uma rapariga que vai deixando de falar com os seus amigos rapazes, só porque o namorado não gosta e não acredita em relacionamentos de amizade entre homens e mulheres....
Sem confiança, dificilmente se constrói uma relação feliz e duradoura!

Mas, como se dizia no início, o ciúme até pode ser o condimento necessário para ir mantendo a chama da paixão acesa. Mas atenção: tudo quanto é demais faz mal, sobretudo porque há diferentes níveis de ciúmes. O mais comum é alguém sentir-se enciumado em situações pontuais nos quais se sinta excluído ou ameaçado de perder a exclusividade (e a atenção) sobre o(a) parceiro(a).

Isso até é relativamente normal... Muitos sentir-se-ão inseguros(as) ver o(a) namorado(a) numa conversa animada com alguém que parece um(a) modelo de passerelle. E, mesmo possuindo uma auto-estima elevada, é difícil não se sentir, pelo menos, uma pontinha de indignação, raiva, desepero, enfim... Ciúmes!
Mas quando se passa o tempo todo em alerta, tenso(a), aflito(a), preocupado(a) com o que a(o) parceira(o) possa estar a fazer... É porque se é um ciumento nato!

Este tipo de pessoas acha-se no direito de saber TUDO o que acontece na vida do(a) namorado(a). E, para isso, não se inibem de vasculhar bolsos e carteiras, ouvir telefonemas na extensão do telefone, ou até (nos casos mais evidentes de "ciumite aguda") de mandar seguir os seus respectivos pares em busca de provas conclusivas.

Quanto a saber qual dos dois sexos é mais ciumento... Bom, isso ainda está para se descobrir. Se bem que um estudo, feito nos Estados Unidos (claro...), indique que neste assunto não há diferenças substanciais. Todos somos ciumentos, embora nos comportemos de maneiras diferentes, ou seja, enquanto que as mulheres têm mais tendência para sofrer caladas ou fingir indiferença, os homens (re)agem (terminando o relacionamento) assim que julgam haver traição.

Mas afinal, se não é exclusivo de nenhum dos sexos, de onde é que surge o ciúme?
Há quem argumente que o ciúme que se sente numa relação amorosa não é mais do que uma espécie de prolongamento do sentimento que se experimenta em relação à mãe, quando ainda somos crianças. Sabe-se que a ligação de uma criança pequena à mãe é muito forte e é por isso que, muitas vezes, vemos os pequenitos em cenas de birrice com a progenitora. É o medo de perder esse amor que faz com que a criança se torne tão possessiva.

Ao longo do crescimento, essa dependência emocional é totalmente desfeita. Assim, quando se entra numa relação, cria-se um novo (ou transformado) tipo de dependência amorosa. Deve ser por isso que temos atitudes tão infantis...
No fundo, o ciúme resume-se sempre ao tal medo de perder a pessoa amada. Mas, embora tenha como finalidade defender as pessoas dessa perda, acaba por precipitar o que se tenta evitar a tanto custo.

Como é que se sabe se o ciúme que se sente (ou de que se é alvo) é excessivo ou não?
Quando uma pessoa se anula para viver apenas em função de outra (não sair de casa a não ser com o(a) namorado(a), cortar relações com os amigos...), quando há menos momentos de prazer na relação, quando se começa a ter de mentir para evitar as brigas, é porque o ciúme já atingiu o patamar do excesso, já se tornou doentio.

Nestes casos, o(a) ciumento(a) pode chegar a sentir-se frequentemente ansioso(a), inseguro(a), deprimido(a) e até ficar com raiva da pessoa amada. E, numa tentativa de confirmar as suas suspeitas, aparece em casa ou no trabalho do(a) outro sem avisar...
É um verdadeiro vulcão emocional, pronto a entrar em erupção a qualquer momento. E, nestes casos, o ciúme é tão doentio que a Medicina já se encarregou de o estudar. É, pois, uma patologia, uma doença.

O grande passo para curar, ou pelo menos para amenizar, o ciúme, é, sem dúvida, o auto-conhecimento. Há que identificar onde e como se está a prejudicar as pessoas que se amam. Se, depois de perceber isto, se conseguir confiar nos outros (e em si), tira-se um grande peso de cima dos ombros. Até porque o ciúme não passa da manifestação de uma grande insegurança...

publicado por dreia92 às 15:17
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 14 de Junho de 2007

Besame Mucho

 

No outro dia estava com uma amiga minha e ela fez-me uma pergunta que ainda nao percebi muito bem se é dificil ou se apenas é esquesita " o que é um beijo?"... Fiquei sem saber muito bem o que responder e por isso fui ao dicionário:

Beijo (Lat. basiu), s.m. Acto de poisar os lábios nalguma pessoa, ser ou coisa em sinal de amor, afeição ou veneração; ósculo; contacto leve.

In Dicionário Universal da Língua Portuguesa Texto Editora



Muito limitativo, não é?
Vinte e nove músculos a trabalhar, um coração a bater descompassadamente (passa dos 60/80 bpm - batimentos por minuto - para cerca de 150/160 bpm - o dobro) e a adrenalina a subir vertiginosamente não podem ser descritos apenas como um "contacto leve".

Tudo bem! Um beijo não tem de ser necessariamente aquela coisa apaixonada que imaginamos quando ouvimos a palavra mágica. Pode representar apenas um cumprimento social, do género que se dá quando nos apresentam a alguém (olá, eu sou... Chuac, chuac).

O beijo é a demonstração de afecto mais difundida pela sociedade ocidental. E, para além de ser muito bom (quem é que não gosta de contacto físico?), é um excelente termómetro para medir o grau de intimidade entre duas pessoas. Ou seja, consoante o tipo de beijo que as pessoas trocam, é possível perceber se a relação é formal, de amizade ou de amor.

E toda a atenção que se dispensa ao beijo não é desmerecida. Afinal de contas, no triângulo formado pelos lábios e pelas narinas está uma quantidade enorme de terminações nervosas que provocam a "tal" sensação de prazer quando se beija.

Bem, mas isto até parece conversa de cientistas... Sabes, aqueles que andam para aí a dizer que o amor não tem nada a ver com o coração mas sim com feromonas e afins. Meus senhores: quem é que quer saber disso?! Nós queremos é sonhar com coraçõezinhos vermelhos e ouvir música de cada vez que beijamos alguém especial!

Pior que os físicos/químicos/biólogos (ou quem quer que estude as tais feromonas), em termos de "empata ..." , só mesmo aqueles seres ignóbeis que teimam em mostrar uma cara enojada cada vez que vêm um beijo hollywoodesco e que não perdem uma oportunidade para deixar no ar um daqueles maravilhosos comentários que todos conhecemos.

Há sempre alguém que se lembra de dizer qualquer coisa como "bleghhh!!! Vocês não se enjoam 'tar sempre a trocar cuspes? Com a quantidade de tempo que perdem a fazer isso, de certeza que já têm os cromos todos... Não vos passa nenhum!", ou então "sabiam que podemos ter até 400 tipos de bactérias na cavidade oral? Imaginem a confraternização que deve haver enquanto estão para aí nesses amassos...".

Podemos até estar no meio do beijo mais gostoso da nossa vida (orgulhosíssimos com a performance), mas não há clima, não há excitação, não há pica que resista a uma boca destas.
Adiante!

Mesmo com todos os empecilhos que possam surgir, receber um beijo é muito bom. Claro que tem tudo a ver com a pessoa que nos dá o beijo... Se não se estiver minimamente interessado, não vai valer nada. Mas quando se gosta, quando se está para aí virado, o beijo pode ser muito, mas mesmo muito bom. Além de tudo, é uma excelente forma de decidir o que é que se quer com determinada pessoa. Pensa lá bem: se exceder as tuas expectativas, pode acabar em namoro. Se for mais ou menos, fica-se pela "curte" e se for um horror (se tiver mau hálito ou se te beijar como um desentupidor, por exemplo), podes rapidamente chegar à conclusão que não é isso que queres para a tua vida e seguir em frente.

Tudo isto acontece porque (e aqui sim, já se pode aceitar a opinião de um físico/químico/biólogo!) os lábios percebem os toques com a mesma intensidade que a ponta dos dedos. Claro que, em termos de erotismo, os lábios batem os dedos aos pontos... Não admira que sejamos tão sensíveis a um bom beijo...

Não é à toa que quando saímos com alguém que nos interessa, ficamos ansiosamente à espera do primeiro beijo. Quer dizer, para as miúdas é o culminar de um período muito agradável, o resultado de todo o jogo de sedução, dos olhares, dos toques "sem querer" (que são os que se querem mais)... Já os homens têm uma perspectiva diferente das coisas. Para eles, o primeiro beijo é apenas o prenúncio de algo que ainda está por vir... Percebes?

É claro que isto não quer dizer que os mocitos só pensam nisso. Apenas mostra as diferenças entre os dois sexos (que são demais para se começar a analisar agora. Afinal de contas, como diz o livro, talvez As Mulheres São de Vénus e os Homens de Marte!)

publicado por dreia92 às 14:25
link do post | comentar | favorito

Saber responder...

No outro dia estava com uns amigos meus e reparei que por vezes os rapazes dão algumas respostas que por vezes nem é mesmo o que eles pensam... 

As 5 perguntas mais difíceis que elas fazem

1 - Em que é que estás a pensar?
2 - Amas-me?
3 - Achas que estou gorda?
4 - Achas que ela é mais bonita do que eu?
5 - O que é que fazias se eu morresse?


O que torna estas perguntas difíceis é o facto de todas elas serem garantidamente explosivas, originando uma valente discussão e/ou separação se ele não responder "correctamente". Ora vejamos...

1 - Em que é que estás a pensar?
A resposta certa é, obviamente: "Desculpa estar pensativo, querida, Estava a pensar que és uma mulher gentil, carinhosa, amante, inteligente, maravilhosa, linda, e que eu sou um tipo cheio de sorte em ter-te encontrado." Claro que esta frase não se assemelha em nada ao que ele estava a pensar na altura, que pode ser uma (ou várias) de 5 coisas:
a) Futebol.
b) Carros.
c) Estás mesmo gorda!
d) Ela é mais bonita do que tu.
e) O que eu faria com o dinheiro do seguro de vida se morresses.

Segundo o artigo de uma revista, a melhor resposta foi de um tipo chamado Al Bundy, que respondeu à sua mulher, Peg: "Se eu quisesse que soubesses, estava a falar em vez de estar a pensar."
As outras perguntas também têm uma única resposta certa, mas muitas respostas erradas.

2 - Amas-me?
A resposta certa a esta pergunta é: "Sim." Para aqueles de vocês que acham importante responder algo mais elaborado, podem responder: "Sim, querida." As respostas erradas incluem:
a) Acho que sim.
b) Sentias-te melhor se eu dissesse que sim?
c) Isso depende do que entendes por "amar".
d) Isso interessa?
e) Quem? Eu?

3 - Achas que estou gorda?
A resposta correcta masculina é afirmar com confiança e ênfase: "Não, claro que não." e depois deixar rapidamente o local onde se está.
As respostas erradas incluem:
a) Não estás gorda, mas também não estás magra...
b) Comparado com quê?
c) Um pouco de gordurinha fica-te bem.
d) Já vi gente mais gorda...
e) Podes repetir a pergunta? Estava a pensar na indemnização do nosso seguro de vida.

4 - Achas que ela é mais bonita do que eu?
O "ela" da pergunta pode ser uma ex-namorada, uma "ela" que vai a passar e para a qual ele estava a olhar tão esgazeado que quase causou um acidente ou a actriz de um filme que acabam de ver.
Em qualquer caso, a resposta certa é: "Não, tu és muito mais bonita."
As respostas erradas incluem:
a) Não é mais bonita, é só bonita num sentido diferente…
b) Não sei avaliar essas coisas.
c) Sim, mas de certeza que tu tens melhor feitio.
d) Só no sentido de ela ser mais nova e mais magra...
e) Podes repetir a pergunta? Estava a pensar na indemnização do nosso seguro de vida.

5 - O que é que fazias se eu morresse?
Resposta correcta: "Amor querido, na eventualidade de nos deixares, a vida deixaria de ter sentido para mim e eu lançar-me-ia para baixo do primeiro camião TIR que passasse." Esta pode ser a pergunta mais estúpida deste conjunto, tal como se ilustra pela anedota estúpida que se segue:
"- Querido? - perguntava a esposa. - O que farias se eu morresse?
- Oh, querida, eu ficaria terrivelmente perturbado - respondeu o marido. - Por que é que perguntas?
- Voltavas a casar? - insistiu a mulher.
- Não, claro que não. - respondeu ele.
- Então por que é que não voltavas a casar?
- Pronto. - disse ele. - Eu voltava a casar.
- Voltavas? - repetiu ela, um pouco magoada.
- Sim. - confirmou ele.
- E dormias com ela na nossa cama? - quis saber a esposa, após uma longa pausa.
- Sim... Acho que sim. - respondeu o marido.
- Estou a ver... - comentou ela indignada - E deixavas que ela usasse as minhas roupas?
- Acho que sim, se ela quisesse. - respondeu o marido.
- Era mesmo? - replicou ela, com a voz gelada - E tiravas as minhas fotografias e punhas lá as dela?
- Acho que seria correcto.
- É mesmo? - exclamou ela, levantando-se - E também deixavas que ela jogasse com os meus tacos de golfe, não era?
- Claro que não, amor, ela é canhota.


Adaptado de Sillyfun.

publicado por dreia92 às 13:56
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Terça-feira, 22 de Maio de 2007

Ele...

Foto do DoubleF_2F no Netlog

 

Uma das nossas primeiras conversas ainda quando pouco conheciamos um do outro foi " Se eu for ai tu pagas o jantar? Pronto entao eu pago mas vou-me esquecer da carteira... Pois,mas tu nao te zangas se eu disser que nunca irei ai de proposito so para jantar contigo ,pois nao?" Foram apenas algumas das celebres frases do Sr. Nuno Fiuza.

 

Se naquela altura me dissessem " tu ainda te vais apaixonar por ele" ou " Voces ainda vão namorar" eu mandava essa pessoa para o manicómio!

 

Mas com o tempo fui me apercebendo de algumas das muitas caracteristicas do Nuno: Tinha um sentido de humor que nao existem palavras para descrever, e sinceramente nao foi preciso muito tempo para perceber isso, tal como não foi preciso muito tempo para perceber que ele era (era?? é!!!) um rapaz mesmo giro! ( e nao digas que nao!!!!BRRR LOL). Mas o nuno demonstrava ser um excelente amigo, estava sempre a apoiar-me, conseguia por-me a rir quando a minha vontade era chorar... Ele ouvia-me.. Ele percebia-me... Ele era um verdadeiro amigo... Comecei a sentir que podia confiar nele, sentia que sempre que precisasse ele ia estar comigo.

 

Mas se eu parecia ter problemas, para ele havia certos dias que quase preferia nao ter saido da cama! Nesses dias tentava retribuir tudo o que ele fazia por mim. Nao com o meu sentido de humor, do qual nao me posso orgulhar muito, mas por palavras amigas, pelo simples facto de tambem o tentar ouvir e perceber tudo o que ele tinha para dizer, e tentar compreender quando ele decidia que nao queria falar de qualquer coisa ( eu fico sempre a roer.me toda! Sou super curiosa!!!)

 

Ao mesmo tempo que ia descobrindo tudo isto, ia percebendo que nós os 2 eramos pessoas completamente diferentes e que a nossa luta baseava-se em tentar encontrar algumas semelhanças entre nós. O que era sem duvida alguma dificil... Ele adora ingles, ama vestir-se de preto,  gosta do tipo de musica a que eu chamo "gritos" . Eramos assim, so um bocadinho diferentes lol

 

 Mas era incrivel como passar um dia sem falar com ele metia.me triste, parecia que faltava qualquer coisa...

 

 Foram dias estranhos os que se seguiram... Muitas coisas aconteceram ao mesmo tempo... Muitas confusoes estavam a invadir.me cada vez mais, mas uma certeza começava a surgir " eu gosto do nuno..." mas como era possivel?? Eu Andreia Ribeiro tinha me apaixonado por um rapaz que nunca ia ver.me como mais que uma amiga! Tinha que o esquecer ! O mais depressa possível... Tentava afastar-me, mas quanto menos queria vir ao computador e ligar o telemovel, mais vontade tinha de falar com ele... O que ia fazer?

 

 Tinha que acabar com aquilo, entao num dia à noite estavamos a falar por mensagens de telemovel e achei que numa mensagem, sobre a pessoa de quem gostavamos,de eke dizer que nao conseguia gostar da mesma pessoa mais de um mes. eu decidi "vou-lhe dizer que gosto dele e isto acaba. Ele vai achar tao esquesito que vai querer que eu o esqueça e nao me vai falar durante os 2 próximos meses! Pode ser que assim o esquça..." acho que ele nessa noite deve ter ficado tão confuso que chegou a dizer que estava feliz, mas no dia seguinte recebi um sms que dizia mais ou menos isto " entao, tu sabes, aquilo de ontem foi um "vipe" ou foi mesmo para ficar..(falta de palavras melhores)" senti.me tentada a dizer que tinha sido uma brincadeira, que não era verdade, mas disse que sim, que tinha dito aquilo na minha total sanidade mental e que sim, era verdade, eu gostava dele...

 

Nao sei se ele sentia algo por mim ja nessa altura, nao sei se ficou com pena de mim, nao sei se realmente teremos.nos apaixonado ao mesmo tempo um pelo o outro, mas certo é que poucos dias depois ele pediu.me em namoro... Eu so pensava "ele esta louco! Ou entao esta a brincar como sempre..." mas nao, ele nao estava a brincar ( e se estava ainda hoje nao sei e disfarçou muito bem) e assim começou a nossa historia, a dia 22 de fevereiro...

 

 As nossas diferenças vieram a demonstrar-se bons temas de conversas (coisa que nos estamos sempre a pensar "tema?lol") e se eu dantes gostava dele, agora ja nao o adorava, eu amava.o (la estou eu com a mania de utilizar o passado..eu amo.o!)

 

 Ele era ( -_- é!) tao perfeito, tao compreensivo, tao querido, tao giro, tao...tao ele. O seu unico defeito é os ciumes!!! Mas nao posso negar que quando sinto a ma disposiçao dele devido a algum ciume, sinto.me triste mas ao mesmo tempo um bocadinho feliz (" Ele gosta mesmo de mim!!").

 

 Mesmo passado 3 meses, quando diz que me ama, eu continuo a corar... Passo as aulas a pensar nele.. Posso dizer que penso nele 3600x em cada hora!!! Sempre que posso e tenho algum tempo falo com ele...

 

O nosso namoro pode nao ser o perfeito, e eu sei que nao é, mas o que interessa é que nos amamos e "o que o amor constroi, nada destroi".

 

Eu AMO-TE MUITO NUNO!!!!!!

 

 Peço desculpa por hoje o dia aqui no blog ( e tambem peço desculpa a todos os meus amigos que tantas vezes ouvem.me a falar dele) ser quase tudo sobre ele, mas eu nao podia deixar passar este dia, estes 3 meses sem dizer nada, e depois acabei por me sentir inspirada... Nao escrevi tudo o que se passou, nem pouco mais ou menos, mas as coisas mas que se passaram estao guardadad numa caixa la no fundo a ganhar po, para onde tento nao olhar. As coisas melhores estao guardadas em 2 cofres: no coraçao e no pensamento...

 

Obrigada aos meus amigos que estao comigo diariamente e que aceitam este namoro, obrigada aos amigos que dizem que nao concordam mas a quem peço que se realmente isto for apenas um sonho me deixem vive-lo mais algum tempo e obrigada a todos os amigos que lêem o meu blog e que de forma tao querida me aconselham... e obrigada nuno por me aturares durante estes 3 meses....

sinto-me: apaixonada
publicado por dreia92 às 21:17
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 20 de Janeiro de 2007

Sim ou não?

Nao sei se isto será um tema para se pôr num blog,mas penso que num blog devemos escrever, de uma certa forma transmitir, tudo aquilo em que pensamos, sentimos, mostrar a nossa maneira de pensar... E sendo assim, porque nao começar por um tema tao polemico como este e que durante estes ultimos dias tem sido mais falado do que o costume, devido ao referendo...Sim, estou a falar do aborto. Pessoas que dizem sim, outras dizem não. Grupos de pessoas, umas de cada lado a defender a maneira como pensam, a defender por vezes os seus interesses... Penso que todas as pessoas devem ter direito a pensar de acordo com a sua maneira de ser e que ninguem deve ter nada a haver com isso... De uma certa forma, por vezes somos criticados por termos uma maneira de pensar um pouco diferente das outras pessoas, o que nos leva a muitas vezes calarmo-nos, nao dizendo o que achamos so para nao sermos repreendidos pelas outras pessoas... E penso que quando se discute o aborto acontece muito isso: Uns dizem ser a favor, outros dizem ser contra!Tento fazer acreditar a outras pessoas que os vêm que eles é que têm razão e levá-las a votar ora no sim, ora no não. Queria que aqui, dissessem o que pensam acerca deste assunto que nos leva a todos, tanto àqueles que vão ter de votar como àqueles que nao vao puder participar (como por ex. eu)... Mas se me perguntarem de que lado estou, se diria sim ou nao, se sou favor ou contra eu apenas diria que ao contrario de muita gente que conheço (maior parte das pessoas) se pudesse diria SIM, porque este sim, é apenas um sim e nao pode ser intepretado como "a favor" porque ninguem neste mundo é a favor de matar um ser, de matar uma criança , um bebé...Sou a favor de um sim porque quem quer fazer um aborto ira continuar a fazer , quer seja legal ou nao... Quem tem dinheiro vai a Espanha, lá pode fazer com condições (e ALGUMA desta gente que vemos na televisao  que é contra ja fez um, ou ja levou outra pessoa a fazer) ou em Portugal onde pode ficar com bastantes problemas devido à maneira de como foi feito... Sinceramente acho que algumas pessoas têm de perceber uma coisa: Uma mulher nao faz um aborto por desporto!!!!!!Nao ha ninguem que ame mais o filho que vai nascer do que a mae! Mas todas as maes querem dar aos filhos as minimas condiçoes de vida, querem dar-lhes aquele amor de que qualquer criança precisa... Nao querem que um dia os filhos (como muitas vezes acontece pessoas que nao queriam ter os filhos e que acabaram por ter) apareçam na televisão por terem aparecido num caixote de lixo, por terem sido maltratados, violados.... Porque um filho que nasce sem ser desejado, em principio, nao vai ser uma criança feliz. Um filho que nasce numa casa onde nao lhe vao puder dar de comer, nao pode ser uma criança saudavel! Um filho que nasce para ser entregue numa instituiçao DIFICILMENTE sera uma criança feliz ( eu sei que ha quem defenda que sao muito felizes...mas vao a uma instituição e tentem ver aqueles sorrisos que nos mostram quando lhes damos um carinho, um beijo, um abraço, a felicidade que sentem nesse momento, como se estivessem a receber o melhor presente da vida deles!! E isto porque muitas vezes sao privados destes pequenos momentos...Mas tambem ha casos diferentes: Ha casos em que as crianças sao muito felizes,mesmo ao principio nao terem sido desejadas... É apenas a minha maneira de pensar e por isso pedia que dissessem a vossa maneira de ver este assunto que podemos por vezes pensar que nao temos nada a haver com aquilo, sao problemas dos outros...Mas nao sao! E por vezes ha pessoas que apenas percebem isso quando os problemas lhes batem à porta....

 

 

sinto-me:
tags: , ,
publicado por dreia92 às 21:06
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Segunda-feira, 8 de Janeiro de 2007

Amor...

Amor é fogo que arde sem se ver

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?
tags:
publicado por dreia92 às 20:18
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. elogio ao amor

. Ciúmes? Não, eu não sou c...

. Besame Mucho

. Saber responder...

. Ele...

. Sim ou não?

. Amor...

.arquivos

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds